Skip to content

Janeiro 30, 2009

quero fugir desta teia em que delirantemente me enredo. buscando – a cada momento – a razão deste sentir que magoa e dói. alucinada, repito. quero_te. e não te_quero. porque tu não existes. a não ser na minha memória e da forma como te_quero. tu és um pássaro. de asas viajantes. olhos de verde lago. garras que me dilaceram por dentro. onde tu não vês.

Advertisements

From → azuis

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: